Brasil aposta na militarização da segurança cibernética / Robert Muggah, Gustavo Diniz e Misha Glenny

Faz-se necessário estabelecer uma estratégia de segurança cibernética equilibrada e integrada, que avalie de forma precisa as verdadeiras ameaças ao nosso espaço

O espaço cibernético brasileiro enfrenta um conjunto bastante diversificado de ameaças digitais, que vão desde pequenos golpes aplicados contra usuários de internet até a ciber-espionagem internacional voltada contra órgãos do Estado. Indubitavelmente, essas ameaças são bastante distintas entre si em muitos aspectos. Em termos de escala, por exemplo, os crimes cibernéticos com motivação econômica, tendo como alvos bancos, empresas e principalmente o usuário comum, são o tipo de ameaça digital mais comum no país.

Ao longo do último ano, e sobretudo no contexto dos protestos de junho de 2013, verificou-se também o aumento de casos de um tipo de ameaça de fundo político, o hacktivismo, muito embora haja controvérsia em torno da legitimidade desta prática. Por fim, apesar de mais pontual, a espionagem cibernética ganhou os holofotes das ameaças digitais no país depois do caso Edward Snowden, em que foi revelado que o Brasil foi um dos principais alvos do esquema global de espionagem colocado em prática pela NSA (Agência de Segurança Nacional dos EUA) e por alguns outros países do grupo “Five Eyes”. Nem as comunicações da Presidência e do Ministério de Minas e Energia teriam sido poupadas pelo esquema de espionagem. MAIS…

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s

A %d blogueros les gusta esto: