Brasil: Desafios da segurança: integrar as polícias e os dados criminais/ Afonso Benites

Um sistema que reúne milhares de informações criminais desencontradas. Estados que consultam os dados de outras unidades da federação, mas não fornecem os seus próprios. Assim são os complexos sistemas de informação coordenados pelo Governo federal. Essa falta de comunicação entre bancos de dados resulta em um problema maior: muitos dos crimes cometidos em Pernambuco são desconhecidos no Rio de Janeiro ou em qualquer uma das outras 25 unidades da federação, por exemplo. Assim, um ladrão de bancos com um mandado de prisão no Recife pode passar incólume em uma blitz policial no Rio e vice-versa.  MAIS…

Bolivia: Cambios en la Policía / Editorial La Razón

Días atrás, aprovechando que soplan vientos de cambio en la Policía, el Director de Régimen Penitenciario de Cochabamba cuestionó el hecho de que no sea posible juzgar por la vía ordinaria a un uniformado que presuntamente ha cometido un delito a menos que sea encontrado en flagrancia, a tiempo de sugerir la promulgación de una norma para revertir esta situación. En efecto, a raíz de que en tan solo una semana tres guardias fueron detenidos por colaborar con el tráfico de drogas en dos cárceles de Cochabamba, el jefe regional penitenciario, Erwin Sandóval, señaló que todos los policías que trabajan en un penal deberían estar seguros de que van a ser sancionados si cometen alguna irregularidad. VER MÁS…

Brasil: De mal a pior / Flavia Oliveira

Número de homicídios no Brasil já passa de 60 mil por ano, estima Ipea. Redução de mortes até 2030 é meta da ONU

Pode ser ainda mais trágico o quadro endêmico de homicídios no Brasil. O Mapa da Violência 2014, com informações do sistema de saúde, contabilizou 56.377 assassinatos no país em 2012 (último dado disponível). O Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que leva em conta as ocorrências em delegacias de polícia, estimou em 53.646 o total de óbitos por homicídios dolosos, roubos e lesões corporais seguidos de morte, em 2013. O par de números, de tão grave, prescindiria de diagnóstico mais alarmante. Mas um modelo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) estima que o total de mortes violentas no país já ultrapassou a barreira de 60 mil por ano. Teriam somado 63.039 em 2012, num ritmo superior a 170 crimes por dia. VER MÁS…

Brazil: Shot-in-the-dark video shines light on issue of police abuse in Brazil / Stephanie Nolen

Chauan Cezario and his friends came back from the beach on a February Friday night, to Palmeirinha, a Rio favela. The power was out, so they couldn’t watch TV and instead goofed around in the dark but crowded street, using one of their cellphones to record a video.

Then Mr. Cezario heard shots, and he was falling, and he saw that his friend Alan Lima was falling too, and as blood poured from his chest, it occurred to Mr. Cezario that somehow he had been shot. He began to pray, while his friend moaned. Then police officers with assault rifles were standing over them, demanding to know what they had been doing.

After half an hour, police permitted neighbours to lift the two men into a patrol car and then drove them to hospital. Alan, 15, was dead. Mr. Cezario, 19, was left caked in both their blood, and to his astonishment, handcuffed; eventually, a police officer said he was being charged with illegal possession of a firearm and resisting arrest. SEE MORE…

Mexico’s Drug War, Version 2.0 / Rodrigo Aguilera

The recent capture of two of Mexico’s most wanted drug lords in the space of a week has been once again hailed as a major coup in the government’s nearly decade-long drug war. However, many security experts as well as ordinary Mexicans remain highly skeptical regarding whether these arrests will have any meaningful effect on the state of criminality and violence in the country. Although the focus has shifted from crime to corruption in recent months, the government of Enrique Peña Nieto still appears unable to find the right formula for making Mexico safer. As a result, for the thousands if not millions of Mexicans who live in violence-prone areas, the prospect of any meaningful improvement to their security and livelihoods remains a far cry. SEE MORE…

Bolivia: Imagen de la Policía /  Editorial La Razón

Para que haya más seguridad, cada uniformado debe ser respetado antes que temido

Los anuncios sobre “la reestructuración” de la Policía no son nuevos. Si se revisan los diarios de la década de los años noventa, fácilmente se hallarán varias noticias como esa. De hecho, hace menos de un mes, el Gobierno informó que 5.147 uniformados saldrán a las calles a brindar seguridad. ¿Se ha sentido esta medida? ¿Qué siente un ciudadano cuando ve a un policía?

Los problemas que debe superar la institución del orden son estructurales, suelen alegar con frecuencia las autoridades policiales, un poco para salir del paso, aunque con muchas razones, casi todas, relacionadas con la falta de recursos adecuados para mejorar el patrullaje en ciudades y carreteras. Pero allí, en el ámbito de la dotación de insumos para la seguridad, las responsabilidades recaen también en las gobernaciones y alcaldías, en el marco de sus competencias autonómicas.  VER MÁS…

Brasil: EL PAÍS e FGV Direito SP promovem debate sobre Segurança Pública

A integração das polícias militar e civil é um dos temas centrais do evento que reunirá especialistas no próximo dia 18 em São Paulo

A falta de uma política eficiente de segurança pública mantém o Brasil na lista dos países mais violentos do mundo. Uma das críticas de estudiosos da área é a atuação em separado da polícia civil e militar, que poderiam unir forças para trabalhar pelo mesmo objetivo. Esse é um dos temas centrais do seminário Gestão de Segurança, promovido pelo jornal EL PAÍS em parceria com a FGV Direito SP, da Fundação Getúlio Vargas, que reunirá autoridades e especialistas no tema.

Durante a Copa do Mundo de 2014, o país garantiu a atuação integrada das duas forças policiais, uma experiência que se mostrou bem-sucedida e permitiu que o evento corresse sem grandes prejuízos para os turistas que visitaram o país em junho do ano passado. Para debater soluções nesse sentido, o seminário Gestão de Segurança trará nomes de peso, como o secretário de Segurança de São Paulo, Alexandre Moraes, e o secretário extraordinário de Segurança para Grandes Eventos, Andrei Augusto Passos Rodrigues. Moraes vai tratar sobre os benefícios da integração para reduzir a criminalidade, enquanto Rodrigues fará uma exposição sobre o legado da Copa do Mundo para a área de segurança. MAIS…

Seguir

Recibe cada nueva publicación en tu buzón de correo electrónico.

Únete a otros 94 seguidores